JMJ do Panamá: 5 detalhes que vão te emocionar

Fonte: Aletéia

1. A colaboração inter-religiosa
A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que está acontecendo no Panamá, tem um viés histórico de colaboração inter-religiosa, o que tem surpreendido muita gente. Líderes religiosos judeus, muçulmanos e de outras religiões se uniram para colaborar com a JMJ 2019.

Por exemplo: durante a JMJ, a comunidade de judeus do Panamá abriga 49 peregrinos poloneses             em suas instalações. Já a comunidade muçulmana hospeda 500 jovens, além de oferecer                               alimentação a eles.

2. Um grande centro de confissões para os jovens

 

Os peregrinos contam com o “Parque do Perdão”, que foi localizado no maior jardim da Cidade do Panamá. São 250 confessionários pintados nas cores oficiais do evento. Tudo confeccionado por presidiários. Os jovens podem receber o Sacramento da Reconciliação nos cinco idiomas oficiais da JMJ.

 

3. União de culturas e devoções
Na festa da juventude, cada um oferece o melhor que tem. Pelas ruas, podemos ver bandeiras de vários países, músicas em vários idiomas, tradições, culturas e hábitos diferentes. Tudo compartilhado em harmonia entre os participantes.

As devoções também são compartilhadas. A Virgem de Guadalupe está na JMJ, assim como Santa Maria La Antigua, Nossa Senhora de Luján, de Coromoto etc.

4. A solidariedade  

A imagem ao lado é uma das primeiras a marcar a JMJ. Um grupo de jovens levanta um companheiro na cadeira de rodas para que ele consiga ver o Papa.

A foto pertence a Carlos Yap, que compartilhou em sua conta no Instagram. Nela, aparece Lucas, um jovem de 17 anos que participa da Paróquia Imaculada Conceição de La Chorrera, no Panamá. Ele foi levantado na sua cadeira de rodas pelos amigos para poder ver o Santo Padre passar. Como se vê na imagem, Francisco viu o gesto e abençoou o peregrino.

 

5. Ninguém fica excluído
Jovens indígenas católicos de 12 países resgataram a memória viva dos povos e a importância de viver em harmonia com a mãe terra. Eles têm um protagonismo especial na Jornada.

Depois de receberem a mensagem do Papa Francisco no início da EMJI, em que ele convida a juventude indígena a “resgatar as raízes, pois das raízes vem a força que vai fazê-los crescer, florir e frutificar”, os jovens reunidos no Panamá demonstraram adesão às palavras de Francisco.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *