100 anos de Dom Estêvão Cardozo Avellar, OP

Dom ESTÊVÃO CARDOZO DE AVELLAR, OP.

1917 – 2017

CEM ANOS

Dom Estêvão Cardozo de Avellar, O. P, – nome de Batismo, Jorge Cardozo de Avellar, filho de Antônio Pereira de Avellar e Anna Cardozo de Avellar, nasceu no dia 04 de novembro do ano 1917, na cidade de Três Corações – MG, onde recebeu os Sacramentos do Batismo, da Primeira Eucaristia e da Confirmação, num ambiente piedoso e profundamente católico.

Entrou para o Seminário Nossa Senhora das Dores, da Diocese de Campanha, onde cursou o Seminário Menor e Maior. Já no curso de Teologia, em contato com as obras do grande Doutor Angélico, Santo Tomás de Aquino, decidiu-se pela vida dominicana. O seu bispo, em Campanha, Dom Inocêncio, resistiu a perda do seu seminarista, mas o apelo de S. Domingos foi maior e o seminarista Jorge, que cursava Teologia no famoso Seminário de Mariana, partiu para a França onde, no centro de Estudos Teológicos dos Dominicanos, fez o noviciado e cursou teologia num contato mais direto com as fontes turistas.

Retornando ao Brasil, recebeu a ordenação presbiteral das mãos de Dom Inocêncio, sendo destinado para trabalhos nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, ora como Prior, ora como Mestre de Noviços e assistente eclesiástico da Ordem Terceira Dominicana (Leigos e Leigas) e também da JUC e outros grupos católicos.

No começo do ano de 1971, foi chamado à Nunciatura Apostólica, onde ouvir do Núncio Dom Umberto Mozzoni, que o Papa Paulo VI ou havia nomeado Administrador Apostólico Sede Plena da recém-criada Prelazia de Marabá, no Pará. Foi sagrado bispo no dia 26 de setembro de 1971, na Matriz Sagrada Família, na cidade natal de Três Corações, pelo próprio Núncio Dom Mozzoni.

Ficou a frente da Igreja de Marabá até 1976, quando foi transferido para a Prelazia da Santíssima Conceição do Araguaia, no Pará, área de atuação dos Dominicanos desde o final do século XIX. Já em março de 1978, o Papa Paulo VI, o transferiu para a Diocese de Uberlândia, MG, onde assumiu o Ofício Pastoral em maio de 1978.

Em Uberlândia, desenvolveu intenso trabalho pastoral nas vastidão territorial da Diocese que sofria com a falta de padres. Naquele ano, Uberlândia tinha 06 paróquias na área urbana e não tinha seminário.

Dom Estevão, com audácia, abriu o Seminário. Foi criando paróquias; organizando a pastoral de conjunto e convocando a primeira assembléia de pastoral para o ano de 1983, de onde saiu o primeiro plano de pastoral de conjunto.

Em 1990, recebeu o bispo coadjutor Dom José Alberto Moura, CSS, que o sucedeu no governo pastoral no dia 23 de dezembro de 1992.

Seu lema: “Dedicação até o fim!”

Um Pastor e Profeta!

Por, Pe. Edvaldo Pereira de Souza
Vigário Geral da Diocese de Uberlândia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *