Os 10 países em que é mais perigoso ser cristão hoje

Fonte: Aleteia

Milhões de cristãos são martirizados ou perseguidos por grupos terroristas e até por governos

Pew Research Center, instituto norte-americano de pesquisas mundialmente respeitado, listou os 10 países em que é mais difícil ser cristão no mundo atual, por causa da perseguição e da violência especialmente direcionadas contra os seguidores de Cristo.

Coreia do Norte

Todas as religiões são proibidas no país, que mantém milhares de cristãos presos. Muitos são torturados e executados.

Cristãos no país: 1,2% da população.

Somália

A religião islâmica é oficial no país e a conversão para outras religiões é ilegal. O grupo terrorista Al Shabab quer impor à Somália um governo baseado na sharia, um rígido sistema de leis islâmicas. Os cristãos no país são clandestinos, já que os suspeitos de seguir uma fé diferente da islâmica correm perigo de morte.

Cristãos no país: menos de 1% da população.

Iraque

O Estado Islâmico dominou grande parte do país e forçou os cristãos e outras minorias religiosas a “escolher” entre a conversão ao islã, o pagamento de um imposto ou a morte. Calcula-se que ao menos 100.000 cristãos fugiram só da cidade de Mossul, a segunda maior do Iraque e na qual os cristãos eram maioria.

Cristãos no país: menos de 1% da população.

Síria

Desde 2011, a guerra civil e a irrupção do Estado Islâmico obrigou 700.000 cristãos a fugirem do país, onde a perseguição tem sido sangrenta.

Cristãos no país: 4,9% da população.

Afeganistão

O cristianismo é estigmatizado como “religião ocidental” e não conta com igrejas no país. A fé cristã é mantida em segredo pelos seus seguidores, que correm o risco de ser executados.

Cristãos no país: menos de 1% da população.

Sudão

O país prevê a pena de morte para quem abandona o islã e abraça outra religião, além de adotar leis “antiblasfêmia” que servem como desculpa para prender os cristãos nativos. O governo já chegou a bombardear comunidades cristãs.

Cristãos no país: 4,8% da população.

Irã

Armênios e assírios que vivem no país têm permissão de professar o cristianismo, mas são tratados como cidadãos de segunda classe porque o islamismo é a religião oficial. As igrejas cristãs são vigiadas e sofrem invasões frequentes da polícia.

Cristãos no país: menos de 1% da população.

Paquistão

Os cristãos são cidadãos de segunda classe e as mulheres e crianças que praticam o cristianismo correm o permanente perigo de sofrer abusos sexuais. As leis “antiblasfêmia” são usadas em grande quantidade de casos para justificar a prisão arbitrária de cristãos. O governo monitora as igrejas, que, não raramente, são alvo de atentados.

Cristãos no país: 2,8% da população.

Eritreia

A Frente Popular pela Democracia e pela Justiça, que controla o governo, tacha os cristãos de “ameaça nacional” e os martiriza com espancamentos e prisões em condições desumanas (inclusive dentro de contêineres), além de atacar suas casas.  

Cristãos no país: 36,8% da população.

Nigéria

Milhares de cristãos já foram sequestrados ou exterminados pelo grupo terrorista Boko Haram, em particular na região norte do país, onde os cristãos são cidadãos de segunda classe. Governos locais chegam a impedir o fornecimento de água e tratamento médico às aldeias cristãs, além de proibir as crianças cristãs de frequentarem a escola.

Cristãos no país: 48,2% da população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *