O Sínodo da Família em 7 palavras

Fonte: Aleteia

Há coisas que perduram e outras que mudam no desenvolvimento dos trabalhos da assembleia sinodal extraordinária sobre a família, que começou na segunda-feira passada.

Apresentamos 7 palavras-chaves para ajudar você a entender melhor:

1. Congregações gerais
Este termo designa a reunião da assembleia dos 253 participantes (assembleia plenária). Este sínodo extraordinário contará com 15 congregações gerais.
Durante a primeira semana, os trabalhos serão realizados exclusivamente desta maneira.
Cada congregação é introduzida pelo anúncio do seu tema, sob a responsabilidade do presidente delegado “em turno” (o sínodo tem 3). Depois vem a intervenção de uma dos 12 casais de esposos auditores, que dão testemunho da sua experiência familiar; posteriormente, a dos padres sinodais.

2. Textos dos padres sinodais
Preparados e enviados com antecedência, estes textos não serão publicados, ao contrário do que se fazia anteriormente. E isso, segundo o secretário do sínodo, cardeal Lorenzo Baldisseri, porque o material é muito, muito importante, e para permitir a cada um que modifique sua intervenção no momento adequado.
Podemos imaginar que, por trás desta decisão se esconde também um interesse pela reserva, devido, entre outras coisas, a polêmicas como a da comunhão dos divorciados novamente casados.

3. “Relatio post disceptationem”
Escrito no final da primeira semana, este documento constituirá a base dos trabalhos dos “circuli minores”, que se realizarão na segunda semana.

4. “Circuli minores”
Estes pequenos grupos, compostos em função das línguas faladas pelos participantes, se reunirão em sessão na segunda semana (que incluirá ainda as congregações gerais).
Os relatórios dos trabalhos de “circuli minores” serão também objeto de voto, antes de serem apresentados à assembleia plenária.

5. “Relatio synodi”
Este é o documento final que os padres sinodais remitirão ao Papa, no final desta assembleia extraordinária.
Este documento não conterá proposições, como acontece em princípio para este tipo de assembleias; será uma síntese das intervenções e debates, em plenária ou por pequenos grupos.
Este texto será objeto de um voto em sala, no sábado, 18 de outubro, à tarde. O escrutínio dará somente duas possibilidades: “placet” (aprovação) ou “non placet” (rejeição).
Será publicado alguns dias depois (em caso de aceitação pela maioria). Este documento não deve ser confundido com a tradicional “mensagem de conclusão” do sínodo.

6. Mensagem de conclusão
Esta, que encerra os trabalhos de cada sínodo, será pronunciada desta vez pelo presidente do Conselho Pontifício para a Cultura, cardeal Gianfranco Ravasi.

7. Questionário
O documento final (ou “Relatio synodi) estará acompanhado por um pequeno questionário. O conjunto será enviado às conferências episcopais, para a preparação da assembleia sinodal ordinária que se realizará após um ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *